O Brasil Tá Vendo

As manipulações no BBB

Winston Brasil

Como estou esperando o BBB acabar só por causa do meu compromisso (pago à altura do sacrifício, com salário indexado pela cotação do ouro) e não para saber quem vai ganhar, estou indiferente a qualquer teoria sobre maquinações para favorecer este ou aquele concorrente. Se já é uma tremenda perda de tempo assistir BBB, imagina gastá-lo analisando conspirações em tese urdidas pelo ~maquiavélico~ Boninho. Mas como escrever sobre BBB não fica atrás no quesito desperdício de segundos, vamos lá.

Nem vou levantar muitas suspeitas sobre as votações, embora não tenha entendido até agora a intervenção do filho do Boni quando chamou a atenção via twitter para uma suposta votação parelha no paredão entre Kamilla, Marcello e Fani – o único que, no fim das contas, contradisse em larga margem todas as enquetes. Ficou parecendo uma justificativa antecipada para a – também suposta – reviravolta.

Mas as edições, não sei não. Já chamei atenção para a má vontade da produção com gente como Marien, que no fim das contas merecia mesmo, principalmente quando ficava mendigando elogio do Bial. Ontem o programa foi de uma tremenda parcialidade na sua campanha contra Natália, por motivos que ignoro e não faço nem questão de saber. As simpatias do programa constituem um mistério para mim – talvez a Globo, depois dos últimos reveses de audiência, queira ser decisiva na campanha do vencedor pra depois poder pedir uma graninha emprestada.

E a emissora tem um histórico com edições suspeitas, perguntem pro Lula ;)


Mal na foto